culinariafuncional, emagrecimento, endocrinologia, enfermagem, nutrologia, receitas, veterinaria

Alimentação natural pet

 

     Eu sou super fã da alimentação natural para cães, eu uso essa estratégia alimentar com os meu cachorros já a três anos, desde que descobri que o Scooby é alérgico a conservantes, palatabilizantes, corantes, e demais químicas adicionadas a ração, e no caso do Suki, que devido a insuficiência renal crônica não aceitava mais comer ração, estava muito magrinho, e a alimentação natural “terapêutica” além de ser bem saborosa, ainda preserva o funcionamento dos rins e fígado por não ter adição de substâncias químicas.

Observação: Alimentação natural não é dar restos da nossa comida e também não é apenas dar frango com arroz e cenoura, esses dois jeitos de alimentação errada levará a problemas de saúde e deficiências de nutrientes importantíssimos. Posso estar parecendo agora uma chatonilda, mas a intenção é ajudar, continue lendo, tudo ficará mais fácil de entender.

Benefícios da alimentação natural balanceada

  • Protege o sistema urinário e rins.
  • Fezes em menor volume, mais sequinhas e odor reduzido.
  • Melhora problemas de saúde como alergias, obesidade, etc.
  • É infinitamente mais saborosa em comparação a ração.

Desvantagens

  • Precisa de organização e disciplina para os preparos.
  • Alguns cães podem não aceitar mais voltar a comer a ração seca.
  • Cães de porte grande tem que preparar muita comida.
  • É necessário adicionar complementos.

 

ALIMENTAÇÃO NATURAL COZIDA

 

     Eu sigo a linha da alimentação natural cozida e é dela que vou falar, nem tentei pôr em prática os outros dois tipos de alimentação natural crua, como na teoria a cozida se mostrou mais interessante e a melhor opção para os problemas de saúde dos meus cachorros, foi a escolhida.

     A alimentação natural cozida é indicada a cachorros de qualquer idade e qualquer raça, como não contem ossos, facilita a oferta desde os bebes recém desmamados até idosos desdentados. O único ponto importante é não deixar de fazer o check-up para comprovar que o cachorro está saudável antes de iniciar a alimentação natural, pois os animais portadores de doenças crônicas necessitam de dietas especiais, com as devidas restrições e adições para auxiliar no controle da doença.

     Se os exames derem ok, vá em frente, mas se alguma alteração importante for diagnosticada, não desanime, é perfeitamente possível adotar uma dieta caseira “terapêutica”, basta contar com um veterinário especialista em elaboração de dietas personalizadas especiais para doentes crônicos.

 

QUANTO SERVIR POR DIA

 

      Para mensurar quanto de comida podemos dar aos nossos cachorrinhos por dia, temos que pensar nos fatores que influenciam essa quantidade, como o porte, raça, idade, grau de atividade física e por aí vai. Coloquei aqui o resumo para cães adultos e saudáveis conforme o porte, para se aprofundar mais é necessário ler o artigo completo no site cachorro verde, lá tem tudo bem explicadinho.

  • Porte miniatura até 3kg: 7-10% do peso corpóreo, exemplo um Chihuahua que pesa 2kg vai receber 160 gramas de alimentação natural por dia, o que equivale a 8% do peso dele.
  • Porte miniatura pesando entre 3 e 5kg: 5 a 6% do peso corpóreo, exemplo um Maltês que pesa 3,5kg vai receber 210g de alimentação natural por dia, o que equivale a 6% do peso dele.
  • Porte pequeno entre 5 e 10kg: 4 a 6% do peso corpóreo, exemplo um Dachshund (“salsicha”) que pesa 7kg vai receber 350 gramas de alimentação natural por dia, o que equivale a 5% do peso dele.
  • Porte médio entre 10 a 25kg: 4 a 5% do peso corpóreo, exemplo um Cocker Spaniel Inglês que pesa 13kg vai receber 650 gramas de alimentação natural por dia, o que equivale a 5% do peso dele.
  • Porte grande entre 25 a 35kg: 4 a 5% do peso corpóreo, exemplo um Boxer que pesa 27kg vai receber 1kg de alimentação natural por dia, o que equivale a 4% do seu peso corpóreo.
  • Porte grande entre 35kg a 42kg: 3 a 4% do peso corpóreo, exemplo um Golden Retriever que pesa 36kg vai receber 1.4kg de alimentação natural por dia, o que equivale a 4% do seu peso corpóreo.
  • Porte gigante de 42kg para cima: 3 a 4% do peso corpóreo, exemplo um Dogue Alemão que pesa 70kg vai receber 2.1kg de alimentação natural por dia, o que equivale a 3% do seu peso corpóreo.

Observações: O cálculo deve ser feito em cima do peso ideal do seu cachorro e não do peso que está no momento, dessa maneira é uma tentativa de diminuir o peso dos gordinhos e elevar o peso dos magrelinhos, focando sempre na saúde com qualidade de vida.  

 

PROPORÇÃO DOS ALIMENTOS

 

     Além de pesar os alimentos, é importante seguir a proporção desse gráfico para a dieta ficar equilibrada. Eu sei que muita gente pode achar isso uma besteira, mas acredite, faz muita diferença, a saúde do cachorro melhora muito:

  • 35% Carboidratos
  • 30% Proteína
  • 30% Vegetais
  • 5% Vísceras

Complementos obrigatórios:

  • Um suplemento polivitamínico-mineral completo: Food Dog.
  • Óleo vegetal de boa qualidade: azeite extra virgem e óleo de coco.

 

RESUMO

GRUPOS ALIMENTARES

 

     Vou escrever aqui o resumo de cada grupo alimentar para dar uma ideia do que se trata o gráfico acima que especifica o quanto oferecer de cada grupo para que a dieta fique balanceada, mas não deixe de ler as informações que vem depois para saber como preparar e a importância dos grupos alimentares na saúde do seu peludo.

  • Proteínas: Carne de frango, boi, peixe, porco, ovos, coração, moela e bucho.
  • Vísceras: Fígado, rim, bofe, baço, pâncreas e miolo.
  • Vegetais: Chuchu, cenoura, alcachofra, pepino, ervilha torta, vagem macarrão, tomate, talos de salsão, beterraba, brotos germinados de feijão ou brócolis e abóboras em geral.
  • Carboidratos: Raizes como mandioquinha, inhame, Batata doce ou yacón e mandioca. Grãos, cereais e leguminosas como arroz integral ou parborizado, aveia em flocos cozida, quinoa, painço, lentilha, ervilha, grão de bico e feijões de qualquer variedade.

 

PROTEÍNAS

30% do total da alimentação

 

     Carnes fornecem proteína, vitaminas, ácidos graxos e minerais, os ovos e peixes entram nessa categoria contribuindo com uma infinidade de outros elementos valiosos. Ao contrário de nós, os cães não conseguem aproveitar tão bem proteínas de origem vegetal, por isso é tão importante oferecer fontes de proteína animal de alto valor biológico como carne, frango, peixe e ovos para manter a saúde dos cães, pois, o coeficiente de proteína que não é assimilado pelo corpo (proteína vegetal) é eliminado, sobrecarregando os rins.

     Na alimentação natural cozida, algumas vísceras são usadas como se fossem carnes, são elas moela, língua, coração e bucho, essas peças são musculosas, se assemelhando mais a carnes que os miúdos como o fígado e rim, e ainda tem a vantagem de serem mais em conta que o peito de frango por exemplo.

Opções de proteína

Qualquer carne que não seja gordurosa é aceitável

  • Frango: peito, coxa e sobrecoxa desossada, moela, coração sem a gordura.
  • Porco: lombo, filé mignon e coração sem gordura.
  • Boi: músculo, lagarto, patinho, coxão mole, bucho, coxão duro e coração sem gordura.
  • Ovos: de galinha, pata, codorna, perua (gema e clara).
  • Peixe fresco: anchovas, sardinhas, cavalinha, pescada, polaca, truta, tilápia, tambaqui, linguado, abadejo, lambari, namorado e corvina.
  • Outras carnes magras: carne de rã, codorna e coelho.

Preparo

     Não cozinhar até ficar bem passada: carnes bem passadas são difíceis de digerir e são menos nutritivas. Podem ser cozidas no vapor, assadas, grelhadas ou cozidas em panela aberta com pouca água. Não frite usando óleo, não use micro-ondas, nem panela de pressão para não perder nutrientes.

Não pode faltar coração

     Essa câmara musculosa onde o sangue é bombeado fornece proteína, ferro, vitaminas e elementos valiosíssimos para a saúde dos olhos e do próprio coração do cão como a coenzima Q10 e os aminoácidos L-taurina e L-carnitina. Tem um ótimo preço e pode ser de qualquer espécie, de frango, boi, porco, cordeiro, cabrito, peru, pato, etc. Não esqueça de descartar a gordura, deixando apenas o músculo.

Observações

Peixes: Eu ofereço somente o filé de peixes frescos que encontramos fácil em peixarias e feiras livres, nunca usar peixe enlatado ou aqueles secos salgados. Os peixes congelados não são uma boa opção, use somente em último caso se não achar fresco.

Carne gordurosa: Evitar as carnes gordurosas como a carne de cordeiro, de pato, salmão, pernil suíno, carne de costela, língua bovina e cupim.

 

VÍSCERAS

5% do total da alimentação

 

     Também conhecidas como miúdos ou órgãos, essas peças são uma indispensável reserva de vitaminas e minerais para carnívoros como os nossos cães. A presença diária de um pouco de vísceras na dieta previne e corrige deficiências nutricionais. Não deixe de oferecer só porque você não as comeria ou por achar que as carnes já fornecem esses nutrientes, pois não é assim, as carnes são infinitamente mais pobres que as vísceras, uma pequena quantidade de vísceras diariamente é fundamental para garantir o sucesso da alimentação natural, lembrando que o corpo não produz minerais, eles precisam obrigatoriamente vir da alimentação. Os 5% é suficiente, o excesso pode acarretar diarreia e problemas de hipervitaminose.

Opções de vísceras

  • Fígado:  De qualquer animal como frango, boi, porco, etc. Possui vitamina A, C, D, E, K, todas do complexo B, minerais selênio, manganês, zinco e ferro, biotina, ácido fólico, colina e inositol e um pouco de ácidos graxos ômegas-3 e 6.
  • Rim: Igual ao fígado, mesmas propriedades.
  • Pulmão ou bofe: Rico em vitamina C e contém uma substância chamada surfactante, benéfica ao sistema respiratório.
  • Baço: Conhecido como passarinha, apresenta nove vezes mais ferro que o fígado, fornece ainda potássio, selênio e magnésio, além de proteína em quantidades apreciáveis.
  • Cérebro ou miolo: Fonte de glicose, vitamina C, vitamina B12, niacina, selênio e é riquíssimo em ômegas-3 DHA e EPA, gorduras do bem que protegem justamente o cérebro.
  • Pâncreas: Infelizmente é difícil de encontrar, reúne um universo de enzimas que ajudam a digerir melhor os alimentos, otimizando o aproveitamento dos nutrientes e prevenindo gastrite, diarreia e alergias

Preparo

     Não devem ser bem passadas, cozinhe-as moderadamente deixando o miolo rosado, vísceras bem passadas são mais difíceis de digerir e menos nutritivas. Podem ser cozidas no vapor, assadas, grelhadas ou cozidas em panela aberta com pouca água. Não frite usando óleo, não use micro-ondas, nem panela de pressão para não perder nutrientes.

 

VEGETAIS

30% do total da alimentação

 

     O consumo de vegetais fornece fibras solúveis e insolúveis que auxiliam no transito intestinal, prevenindo a constipação, além disso, os legumes, hortaliças, frutas e verduras contribuem com vitaminas, minerais e antioxidantes que combatem doenças degenerativas como câncer e previnem o envelhecimento dos órgãos. Você pode incluir uma ampla variedade de vegetais na dieta do seu cão, contudo, há algumas regrinhas a seguir para algumas famílias de vegetais.

Opções de vegetais

  • Chuchu, cenoura, alcachofra, pepino, aspargo, ervilha torta, vagem macarrão, tomate, talos de salsão, beterraba, brotos germinados de feijão ou brócolis.
  • Abóbora de qualquer tipo: Italiana, jerimum, brasileira…
  • Folhas para dar um toque: agrião, catalonia, salsão, alface, acelga, rúcula, folhas de beterraba e cenoura, salsa e manjericão.

Preparo

     Lave bem e corte em cubos ou rodelas. Podem ser cozidos no vapor, assados em assadeira ou cozidos em panela aberta com pouca água. Não use micro-ondas nem panela de pressão para não perder nutrientes. Cozinhe até ficarem tenros, nem muito moles nem duros, o cozimento excessivo também acarreta perda de nutrientes.

 

CARBOIDRATOS

35% do total da alimentação

 

     Os carboidratos fornecem energia, fibras, minerais, vitaminas e fitoquímicos. Os carboidratos presentes na alimentação natural não são como os usados na maioria das rações seca que são subprodutos baratos e inflamatórios de milho transgênico, soja e trigo, nada disso, usamos tubérculos bons, grãos, cereais e leguminosas, que trazem benefícios para a saúde do seu peludo.

Tubérculos: Raízes

  • Mandioquinha: concentra vitamina B, C e é fácil de digerir.
  • Inhame: Ótimo depurador do sangue, antioxidante.
  • Batata doce: Reforça a imunidade e fonte de vitamina A.
  • Batata yacón: contem inulina, fibra que reduz as taxas de açúcar no sangue.
  • Mandioca: Fonte de potássio, cálcio e vitaminas do complexo B.

Grãos, cereais e leguminosas

  • Arroz integral
  • Aveia em flocos cozida
  • Quinoa, painço.
  • Lentilha, ervilha, grão de bico.
  • Feijões de qualquer variedade.

Preparo

Raizes: Lave bem, corte em quadradinhos e cozinhe em panela a vapor, panela aberta com pouca água ou asse no forno. 

Grãos, cereais e leguminosas são melhor digeridos pelos cães e geram menos gases se forem deixados de molho antes de serem cozidos, igual ao que se recomenda fazer com feijões. O objetivo dessa prática é reduzir os teores de antinutrientes, elementos que atrapalham a digestão como o ácido fítico saiba mais 

 

COMPLEMENTOS OBRIGATÓRIOS

 

     Toda e qualquer dieta requer adição de alguns complementos, até mesmo as mais bem preparadas com ingredientes selecionados de excelente qualidade. Complementos são indispensáveis por vários motivos:

  • Eles devolvem à dieta nutrientes mais difíceis de encontrar em alta concentração nos alimentos, como magnésio, vitamina D, vitamina E e iodo, ou que são perdidos durante o cozimento (vitaminas C e do complexo B), congelamento e descongelamento dos alimentos.
  • Por melhor que seja uma dieta caseira, ela é sempre inferior à alimentação que seu cão teria na natureza. No ambiente natural, presas e predadores vivem em condições ideais e o cão selvagem consome todos os tecidos da presa, incluindo partes nutritivas que não servimos como ossos, sangue, intestinos e glândulas.
  • Assim como você, seu cachorro está exposto aos danos oxidativos do estresse e dos insultos ambientais como: poluição, ácaros, toxinas, pesticidas, agrotóxicos, contaminantes na água, resíduos de medicamentos, vacinas, etc. A ingestão regular de alimentos funcionais capazes de modular quadros inflamatórios e estimular as defesas naturais do organismo o ajudam a se defender de tudo isso.

     Por todos esses motivos, não deixe de incluir os complementos na dieta do seu cão. Eles são uma categoria indispensável da alimentação natural e garantem que seu peludo esteja recebendo tudo o que precisa para viver com saúde.

Complementos obrigatórios

  • Suplemento vitamínico-mineral completo: Food Dog
  • Óleo vegetal de boa qualidade: azeite de oliva extravirgem ou óleo de coco.

 

COMPLEMENTO: SUPLEMENTO FOOD DOG

 

     O Food Dog é o único produto desse segmento que conheço que é isento de alimentos transgênicos, açúcar ou glicose, conservantes, corantes ou flavorizantes sintéticos. A maior parte dos polivitamínicos pra cães à venda no mercado brasileiro não foram desenvolvidos especificamente para balancear dietas caseiras e sim como medicamentos para serem usados por um curto período em situações de debilidade imunológica, convalescença, anemia e desnutrição. Já o Food Dog foi feito para ser administrado diariamente e fornece todas as vitaminas lipossolúveis e hidrossolúveis e todos os minerais necessários para o balanceamento da dieta caseira, acrescentando micronutrientes que muitas vezes não são fáceis de encontrar nos alimentos em doses apreciáveis, como cálcio, selênio, iodo, vitamina D, magnésio, vitamina B1, vitamina E e vitamina K.
     Outro ponto importante é que o Food Dog contém os prebióticos MOS e FOS, que otimizam a saúde digestiva e imunológica. Também conta pontos que grande parte dos minerais da fórmula estão na forma quelada (ou quelatada), isso significa que os minerais estão associados a aminoácidos, o que evita que um mineral dispute com outro por local de absorção, garantindo assim uma assimilação muito superior de todos os minerais pelo organismo, exemplo o cobre e zinco, que são minerais que podem anular um ao outro se administrados sinteticamente sem estarem na forma quelada.

     A dose diária recomendada para balancear as refeições do seu peludo adulto e saudável é de 1 grama do Food Dog Manutenção para cada 100 gramas de alimentação natural caseira na hora de servir

COMPLEMENTO: ÓLEO VEGETAL 

 

     As opções dentro desta categoria são o azeite de oliva extra virgem e o óleo de coco, tudo bem escolher somente um, embora variar os dois seja sempre a melhor opção.

Azeite de oliva: Promove a longevidade, e contribui com ômegas 9, vitaminas E e K, polifenóis (que combatem os temidos radicais livres), além de ser intensamente anti-inflamatório e prevenir constipação. Prefira sempre a versão extra virgem, primeira prensa a frio em garrafa de vidro escurecida.

Óleo de coco: Ajuda a manter o intestino funcionando bem, além de combater fungos e turbinar a imunidade graças ao seu ácido láurico, e conferir brilho e maciez incríveis à pelagem. 

A dosagem de óleo vegetal de boa qualidade na dieta é a seguinte para cães de:

  • até 5kg de peso: 1 colherinha de café em 1 das refeições diárias.
  • 5 a 15kg de peso: 1 colher de chá em 1 das refeições diárias
  • 15 a 25kg: 1 colher de sobremesa em 1 das refeições diárias
  • 25 a 35kg:  1 colher de sopa em 1 das refeições diárias
  • 35kg ou mais: 1 ½ colher de sopa em 1 das refeições ou 2 colheres de sopa

 

SUGESTÃO DE COMBINAÇÕES

 

     As opções de combinações são infinitas, sinta-se à vontade para variar os ingredientes de acordo com as opções listadas e montar suas próprias receitas de acordo com as preferências do seu peludo e com os alimentos que você tem disponível em casa, mas não esqueça de seguir a proporção de cada grupo de alimentos (30% carnes, 30% vegetais, 5% vísceras e 35% carboidratos + os complementos obrigatórios). Incentivo a rotação periódica dos ingredientes da dieta para cães como uma maneira de ampliar a gama de nutrientes e evitar que o cachorro enjoe da comida.

     Modelo que uso para o Scooby: Peso ideal 8,5kg, castrado, 11 anos de idade, grau de atividade física leve. A quantidade de alimentação natural que sirvo diariamente é de 4% do peso ideal (4% de 8,5kg é 340 gramas ao dia) que divido em 3 refeições (10h00, 17h00 e 23h30). Eu faço assim, você pode adaptar à sua rotina, como por exemplo dividir em duas refeições ao dia.

 

Exemplo: opção 1

  • 30% Proteinas: Carne de boi + Ovo.
  • 35% Carboidratos: Mandioquinha + Quinoa.
  • 30% Vegetais: Abobrinha + Pimentão rede.
  • 5% Visceras: Rim bovino.

Total: 340g de alimentação natural cozida + 3g de Food Dog + 1 colher de chá de azeite de oliva extravirgem.

 

Exemplo: opção 2

  • 30% Proteinas: File de sardinha.
  • 35% Carboidratos: Batata doce + Quinoa.
  • 30% Vegetais: Vagem + Abobrinha.
  • 5% Visceras: Figado de frango.

Total: 340g de alimentação natural cozida + 3g de Food Dog + 1 colher de chá de óleo de coco.

 

Exemplo: opção 3

  • 30% Proteinas: Coração bovino.
  • 35% Carboidratos: Arroz integral + Mandioquinha.
  • 30% Vegetais: Chuchu + Couve refogada + Cenoura.
  • 5% Visceras: Pancreas bovino.

Total: 340g de alimentação natural cozida + 3g de Food Dog + 1 colher de chá de azeite de oliva extravirgem.

Exemplo: opção 4

  • 30% Proteina: Moela.
  • 35% Carboidratos: Aipim + Painço.
  • 30% Vegetais: Abobrinha + Abobora + Pimentão red.
  • 5% Visceras: Baço

Total: 320g de alimentação natural cozida + 3g de Food Dog + 1 colher de chá de óleo de coco.

 

obrigada pela visita 😀

 

Referências da pesquisa

Alimentação natural cozida para cães saudáveis. Disponivel em <https://www.cachorroverde.com.br/caes/dieta-cozida-para-caes/&gt; Acesso em 04 de maio de 2018.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s