culinariafuncional, endocrinologia, enfermagem, nutrologia, receitas, veterinaria

Alimentar na seringa

 

     Alimentar o animal na seringa não é nada fácil, mas quando o bichinho não tem dentes ou não está com forças para mastigar sempre damos um jeitinho, o amor sempre fala mais alto. Como lido com esse método já a bastante tempo, fiquei craque, e por isso resolvi escrever esse texto, para ajudar quem está na mesma situação, alguns truques facilitam bastante.

Vou comentar resumidamente aqui sobre:

  • Truques de como usar a seringa.
  • Quais alimentos é possível usar a seringa.

 

TRUQUES

 

Tamanho das seringas: Tenha seringas de 3 ml e 5 ml para animais pequenos, elas são mais anatômicas para a função. Tenha paciência, acredite, aos poucos o bichinho fica menos resistente.

Não afogue o animal: No início, no caso de animais pequenos, é melhor dar dez seringadas de 2 ml do que lotar o êmbolo de uma seringa maior e dar de uma vez, isso pode causar engasgo e traumatizar o bicho, pondo tudo a perder. 

Segurar: Gato fica mais fácil se segurar a cabeça com uma das mãos colocando a palma no topo da cabeça, pressione os buraquinhos de cada lado da boquinha com os dedos indicador/médio e polegar, facilitando a abertura. Cachorro é preciso colocar ele sentado entre as suas pernas, posicione o queixo elevado encostando a cabeça dele na sua barriga, abra a boca pressionando o maxilar para baixo sem desencostar a cabeça.

Impedir fugas: Tem que usar a criatividade e também usar o seu corpo como instrumento de apoio. Cachorro eu fico de joelhos e coloco o canino entre minhas pernas mantendo o bumbum dele para baixo segurando com as minhas coxas. Gatos é bom evitar a imobilização pelo cangote, isso aumenta bastante o estresse do peludo, se ele está sendo alimentado por seringa é pq está debilitado, então não há necessidade de tortura.

Ajeitando a seringa: No gato encaixa no canto da boca, além de ajudar a forçar a abertura, não fica com tanta vontade de mastigar como na frente. Só tome cuidado para não machucar a gengiva. No cachorro é um pouco mais fácil, eu seguro a boca aberta e deposito o alimento no fim da língua com cuidado para não engasgar. Na bochecha também funciona, mas precisa prestar atenção para não cuspir.

Respeite o ritmo do bicho: Alguns vão bebendo/comendo conforme a gente aperta o êmbolo, portanto, é melhor ir devagar. Outros se desesperam e preferem que a tortura termine mais rápido. Só não pese na mão para não machucar ou levar uma rebatida de volta na cara. Não esqueça de manter o queixo dele elevado e deixar ele relaxar enquanto recarrega a seringa.

Cuidado com acidentes: Na hora do nervoso a gente acaba apertando a garganta sem querer, é necessário calma. Tem que prestar atenção também para não arrancar todos os bigodes do gato ou pelinhos da boca do coitado do cachorro, isso doí viu.

Intervalo: No estômago dos gatos cabe confortavelmente 20 ml de líquido ou 20 gramas de comida, mais do que isso, causa desconforto e demora apenas 40 minutos para esvaziar. Sobre os cachorros, vai depender do porte.

Observações: Tenha um rolo de papel higiênico ou papel toalha ao lado, se o animal estiver enjoado vai babar ou se for rebelde pode cuspir quando não quiser mais.

Muito carinho ao final das seringadas: O bichinho precisa associar as seringadas a um momento bacana. Nada de brigar com ele quando tomar rasteira ou cuspida, vai fazer sujeira sim algumas vezes, mas faz parte. Na hora do nervoso se lembre que o animal não precisam sofrer mais com você bravo ou xingando.

 

ALIMENTOS

 

PATÊ EM LATINHAS: O interessante é que as latinhas de patê (ração úmida) já são específicas para cada doença, mas mesmo assim possuem pedacinhos que não passam pela seringa. Eu costumo transferir o conteúdo da lata para um pote de vidro com tampa, acrescento um pouco de água alcalina e bato com o mixer de mão, fica perfeito, nem firme demais nem líquido demais, apenas pastoso. Guardo esse pote de vidro na geladeira e vou retirando aos poucos conforme os horários das refeições. Eu uso patê das marcas royal canin e Hills, é só escolher conforme a doença do seu animal. 

FRUTAS: Eu consumo frutas variadas diariamente, no mínimo 3 ao dia, pois possuem vitaminas, minerais e antioxidantes, e nesse momento já aproveito e ofereço para eles. As frutas mais macias como banana, manga, mamão, avocado e pera, eu amasso no prato, maça eu raspo igual se faz com bebês, quando chega a consistência mais pastosa é só aspirar com a seringa. No caso de cachorros com doença renal, eles ficam sem apetite até para alimentos gostosos, então a técnica da seringa ajuda bem na alimentação, a primeira seringada pode ocorrer uma certa resistência, mas as demais eles aceitam bem. É necessário ler mais a respeito e saber quais frutas são indicadas e quais são contra indicadas conforme o quadro de saúde do animal.

ALIMENTAÇÃO NATURAL: Se você já é adepto da alimentação natural é só acrescentar água alcalina ou caldo natural e bater com o mixer de mão até alcançar a consistência pastosa. Os caldos costumo revezar entre caldo de mocotó, peixe e frango. É importante que a alimentação natural tenha sido prescrita pelo veterinário especialista no assunto, cada animal tem as suas necessidades com as devidas suplementações, e dependendo da doença, alguns alimentos são contra indicados. alimentação natural caseira

 

OBSERVAÇÕES

 

Alimento gelado: Eu coloco em uma xícara e levo em banho maria em uma panela qualquer com água, como a consistência é pastosa, costuma ficar morno rapidinho, tome cuidado, nunca dê nada quente para os animais, eles não se sentem bem, morno ou temperatura ambiente está ótimo.

Cães idosos: Quando o cão perde os dentes por questão de idade ou mesmo por ter tomado medicamentos fortes por longos períodos, esse método de alimentação por seringa ajuda bastante nos casos onde os animais não querem comer.

Doença renal: Costumo ver animais que não aceitam comer nada, eu recomendo usar o patê renal por ser completo e auxiliar na manutenção da saúde, já que, é bem comum pelo mal funcionamento dos rins eles desenvolverem anemia. Como eles costumam perder peso rápido também, eu também ofereço uma seringada 2 vezes ao dia de patê recovery da royal canin ou AD da Hills, para dar mais energia ao bichinho. doença renal

Papinha nestle: Eu não recomendo, se você ler no rotulo vai ver que além de cebola que é extremamente tóxica aos animais ainda possui outras substância que não fazem bem para um bichinho que está com os rins debilitados. Lembre-se, os rins são responsáveis por filtrar o sangue, quanto menos você sujar o sangue com substâncias não apropriadas, mais qualidade de vida o bichinho vai ter. doença renal

 

Obrigada pela visita 😀

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s