enfermagem, medicina, ozonioterapia, veterinaria

Ozonioterapia no esporte

 

     Os exercícios são considerados atividades aeróbicas e anaeróbicas nas quais a fadiga ocorre por consumir muito ATP e formar ácido lático em músculos e sangue, por isso, os atletas precisam de um período de recuperação para poder retomar o exercício. A fadiga e tempo de recuperação são problemas que afetam o nível de desempenho dos atletas, neste caso a ozonioterapia agrega como um agente seguro e eficaz com ótimos benefícios, auxiliando no aumento do desempenho e também na redução do período de recuperação.

Quais são os benefícios do ozônio medicinal para atletas?

  • Aumenta a oxigenação tecidual.
  • Aumenta a produção de ATP, resultando em mais energia e rápida recuperação;
  • Atrasa o início da fermentação anaeróbica do açúcar na célula reduzindo o acúmulo de ácido lático.
  • Oxida o ácido lático, ajudando a prevenir dores musculares.
  • Reduz o inchaço, hematomas e dor de ferimentos: Acelera a cura.
  • Previne e trata gripes e resfriados por aumentar a imunidade.
  • Elimina a necessidade de antibióticos, protegendo a flora intestinal.
  • Aumenta a produção de hormônios para níveis ótimos, eliminando a necessidade de esteroides artificiais/sintéticos.

Antidoping em atletas

     O ozônio não é um estimulante proibido, não tem problema em relação ao teste antidoping, por ser administrado por via sistêmica (insuflação retal) e ser uma substância natural que não deixa resíduos.

     Quando falo “substância natural” estou falando de uma substância que não pode ser patenteada pela industria farmacêutica, não é algo que o homem criou e colocou em caixinhas a venda. O tratamento com ozônio não gera resíduos no sangue, urina ou fezes, ele incorpora no organismo naturalmente participando dos processos fisiológicos como um convidado desejado, que ajuda a arrumar a casa (organismo) sem cobrar nada em troca, ou seja, sem efeitos colaterais.

Efeitos colaterais do ozônio

     A ozonioterapia é uma linha de tratamento complementar super segura, desde que seja usado adequadamente por profissionais da área da saúde bem treinados, e isso precisa ficar claro, não basta ter o aparelho e sair insuflando o gás em todo mundo, precisa sim ter um bom conhecimento de anatomia, fisiologia, bioquímica e tudo mais, além claro de cursos específicos de ozonioterapia. 

 

Obrigada pela visita 😀

 

Referências consultadas

  1. IBCOZ: Instituto brasileiro de ciências aplicadas ao ozônio.
  2. PubMed: Artigos científicos sobre a ozonioterapia no atletismo.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s